Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Bem-vindo ao meu Blogue!

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Bem-vindo ao meu Blogue!

31.12.22

Grata a 2022


Maria Neves

Grata a 2022 Ano que nunca será esquecido, Pelos amigos que conheci, Pelo que dei e recebi, Pelo que ensinei e aprendi. Pelas horas de imobilização, Sem asas para andar, Aprendi facilmente a lição, O quão difícil é, ser obrigado a parar. Que 2023 traga Paz, Saúde e responsabilidade, Que a Luz toque os corações, E a tristeza dê tréguas à Humanidade. Votos de Feliz 2023 Maria Neves      
29.12.22

Olhos Que Falam


Maria Neves

  Existe num simples olhar, Uma mensagem de vida escondida, Onde a alma expõe o pulsar, Que permite poder ser entendida. Sobre um olhar existe um horizonte, Existe uma parede fechada, Existe um penedo, ou uma ponte, Existe um vazio, ou uma estrada. Sobre um olhar existe a melodia, Existe um discurso sem palavras, Existe um caminho, ou um guia, Existe uma seara sem lavras. Sobre o olhar existe um sentido, Existe o perto, e o ausente, Existe o presente e o perdido, Existe Quem, não (...)
15.12.22

Tempo Curto, Ou Eterno


Maria Neves

Há quem more suspenso, Por aí, em algum lugar, Onde o pensamento é intenso, E onde o tempo, deixou de passar. Olhando o mar que se agita, Numa tarde chuvosa e fria, Haverá uma alma que grita, Por algo, que se tornou no seu guia. A vida não pode esperar, Foi da terra, foi do fogo, e do mar, Foi do curto tempo, foi do eterno, De onde se foge passar. Na tempestade aprendeu, A controlar o seu leme, Na adversidade respondeu, Quem vive pelo Outro, não teme. Maria Neves      
12.12.22

Um Dia Especial, com Contos De Natal


Maria Neves

  No dia 3 de Dezembro de 2022, a comunidade blogger do Sapo publicou o seu segundo livro de Contos de Natal, evento realizado na  Biblioteca Municipal da Ericeira - Casa de Cultura Jaime Lobo e Silva,  com um acolhimento fantástico, e num edifício lindo. Agradeço a esta comunidade por me ter acolhido e valorizado. Agradeço  á Isabel (...)
13.11.22

E A Chuva Continua Caindo


Maria Neves

É uma chuva forte que cai, O vento sul canta na estrada, No oceano revolto a espuma se esvai, Ao encontro da noite idolatrada. E a chuva que continua caindo, Quebra o silêncio que a noite perpectua, A Luz da sala pelo chão decaindo, A escuridão dessimula. Um relâmpago surge de mansinho, Um trovão ao longe ecoa, A chuva continua caindo, E na noite, há uma gaivota que voa. E a chuva continua caindo....        
01.11.22

Dia 1 de Novembro


Maria Neves

  1 de Novembro 2022 Pela manhã, o dia acordou cinzento, mas pleno de cheiros e de cores. As crianças tocaram a campainha da casa, bem cedinho, trazendo consigo a tradição, o sorriso e a alegria do Pão por Deus. Alegremente estendiam os seus sacos de pano, e recebiam gratos as broinhas de canela. Saindo pela avenida, a tradição está bem viva. Mulheres activas, com grandes ramos de crisântemos prontos  para oferecer aos seus entes queridos que já partiram do nosso mundo. Po (...)
01.11.22

Segredos das Ondas


Maria Neves

  Como poder ficar indiferente, Mesmo que o cansaço se imponha, Ao por do Sol no poente, Ao mar cálido na tarde risonha. Olho cada pequena onda, Beijar devagarinho o rochedo, Perto de mim faz a sua ronda, Parece que esconde um segredo. Segredos do mar, Segredos dos tempos, Procurando apenas amar, Nem que seja só uns momentos. Porque o sol está quente, Porque a chuva acontece, Porque o Outono desmente, O que se assemelha a uma prece. Maria Neves  
16.10.22

Quantos e Tantos Mais


Maria Neves

Quantas ondas tem o mar, Quantos muros têm sentidos, Quanto tempo vai levar, Levantar ombros caidos. Quantos montes tem a serra, Quantos vales ficam ao fundo, Quantos desejos encerra, Cada mente no seu mundo. Quantas vidas quer o Ser, Quando não vive na sua, Quanto tempo precisa Ter, Para  que a verdade possua. Quantas vidas temos em nós, Passadas cada momento, Nunca, nunca estaremos sós, Enquanto dura o pensamento. Maria Neves  
03.10.22

Ecos de Outono


Maria Neves

  Desço a avenida em direção ao rio, Avisto um lindo espelho de água, Um cisne negro arredio, Aqui não há tristeza, nem mágoa. Na tarde quente de Outubro, Uma brisa sopra devagarinho, Folhas doiradas caiem ao rubro, Sabe tão bem sentir este carinho. Junto ao rio, os ruídos da água ecoam, Caindo no seu ritmo semeiam paz, Gritos furtivos dos pássaros entoam, Chamando o mais alto de que são capaz . O Outono no seu mais pleno esplendor, Os sentidos incutem confiança, A (...)