Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Um espaço, que descreve a minha atitude perante a vida. Viver com um sorriso, perspectivando um futuro melhor. Sorri sempre!

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Um espaço, que descreve a minha atitude perante a vida. Viver com um sorriso, perspectivando um futuro melhor. Sorri sempre!

25.09.21

Uma chuva de Outono


Maria Neves

 

B6587A2D-1EB8-4464-8487-0E497F3B8B2A.jpeg

3F26D34D-D354-4C7F-BA1D-886B616BBA67.jpeg

Uma chuva  de Outono

Acordo devagarinho,
Ao som da chuva de Setembro,
Que me embala com carinho,
Sons como este,  não lembro.

Levanto-me e vou observar,
O mar de branco se vestiu,
Uma calma paira no ar,
É a chuva de Outono, que ninguém ouviu.

Vou embora, para outro lugar,
Sussurra a chuva na varanda,
Agora é a vez do sol brilhar,
Logo voltarei mais branda.

E assim, começou mais um dia,
O céu azul depressa ficou,
Repleto de nuvens e magia,
Que um amanhecer de Outono deixou.

Maria Neves

 

 

23.09.21

Quando uma música fala por ti


Maria Neves

E2B6595A-7227-40A2-B907-C2AFF3C1A5E6.jpeg

Quando uma música fala por ti

Quando o vento não consegue varrer,
O que tanto te magoou,
O que não queres reviver,
O que tanto te encorajou!

Uma música fala por ti

Quando olhas o outro de frente,
Pensas, "poderia ser eu",
Quando vem à tua mente,
Tudo o que já te aconteceu.

Uma música fala por ti

Quando acordas numa manhã de Outono,
O céu escuro traz a lembrança,
Que cada carcaça tem seu dono,
E que em ti, sempre brilhou uma esperança.

Quando uma música, fala por mim!

Maria Neves

17.09.21

Cada dia de vida


Maria Neves

5836D108-5EE5-4063-9054-D70930EEAB40.jpeg

Cada dia de vida

Será sempre teu.

Será sempre único na sua essência.
Pelas tuas vivências que nele ocorreram.
Pelo que aprendeste.
Pelo que ensinaste.

Pelo que sentiste.

Não  compares o teu dia,  com outro dia.
Ou de alguém.

Pois cada um de nós tem percepção diferente face ao mesmo contexto.
Mas, é precisamente a nossa atitude que nos define.
Atitude, que conjuga os nossos valores, os nossos sonhos  com a realidade de cada um de nós.
Cada  dia,  será sempre único.

Será um dia de Vida.

Não desperdices um segundo!

Maria Neves

 

 

12.09.21

O voo da Garça Real


Maria Neves

02DB82EA-7EAF-47CA-8CE5-6BF5923BF552.jpeg

O voo da Garça Real

Em Setembro  me levantei,
Gosto da época que se aproxima,
Sobre o mar sem medo sobrevoarei,
Olhando toda a beleza, lá de cima.

Sou uma garça real de asas brancas,
Adoro o calor outonal,
Sobre o céu azul colho lembranças,
O que me torna um pássaro especial.

Sobre as águas do oceano me delicio,
No pântano busco alimento,
O céu azul eu aprecio,
A vida que levo só,  é meu sustento.

Maria Neves

Foto: Óscar Ferreira 

07.09.21

Uma tarde em Óbidos


Maria Neves

 

6CFCBA36-CCAC-435C-8716-A7ECEF68C488.jpeg

7A3C429A-ACA5-4F12-B5EF-A19659E6B6D4.jpeg

58BB6F15-8475-4D0B-9B3C-C317EBFA76ED.jpeg

2C373575-2440-4ECA-BC40-45A8B84E8759.jpeg

35EF3B5D-5B6B-4CBF-8ACA-6838DF3275E7.jpeg

Uma tarde de Setembro, domingo quente, e já com espírito outonal.


Decidimos ir a Óbidos.

Viajar no tempo,  pelo seu castelo e ruelas.

As suas igrejas bem cuidadas.


Óbidos poderia ser um cartão postal de Portugal.

Enquadramento histórico:

O castelo ergue-se na cota de 79 metros acima do nível do mar, com planta no formato retangular irregular (orgânica), misturando elementos dos estilos românico, gótico, manuelino e barroco, distribuídos por duas zonas principais: a do castelejo (atual Pousada do Castelo, ou Pousada de Óbidos) e o bairro intra-muros.

O perímetro das muralhas, reforçadas por torres de planta quadrada e cilíndrica, alcança 1.565 metros, totalmente percorrido por um adarve defendido por parapeito ameado. Em alguns trechos, as muralhas elevam-se a 13 metros de altura.

O troço este da muralha constitui o núcleo do muralhamento mais amplo que envolve o castelo e a vila, e que, prolongando-se por ambos os lados em direção ao sul por 500 metros, fecha o perímetro em ponta, na chamada Torre do Facho.

O acesso é feito por quatro portas e dois postigos, destacando-se a Porta da Vila ou Porta de Nossa Senhora da Piedade, encimada por uma inscrição, ali colocada pelo rei D.João IV (1640-1656), e que reza: A Virgem Nossa Senhora foi concebida sem pecado original. No seu interior encontra-se uma capela com varanda, revestida de azulejos do século XVIII.

Porquê viajar faz bem.

Porque a história é uma viagem no tempo.

Fonte// Wikipedia 

Primeira foto: obidos.jpeg (1400×800) (gatobidos.com)

Maria Neves


 

05.09.21

Um Anjo chamado Gaivota


Maria Neves

0F8DD52F-6065-467A-A928-766B3FC61A06.jpeg

AAA0537A-9858-499E-83A3-295DE53295FC.jpeg

Um Anjo chamado Gaivota 

Com o nascer do sol me levanto,
Neste verão tardio arrebatador,
Protejo a família com o meu manto,
Espera-se um dia libertador.

O Sol brilha nas águas do Mar,
Traz consigo Luz e prosperidade,
Saber que existe alimento neste lugar,
Estamos em paz, e plena Liberdade.

 

Aqui tenho a família ocupada,
Os filhos pequenos, começam a voar,
Já posso dormir descansada,
Todos trabalham para se sustentar.


Brevemente o oceano vamos cruzar,
O calor invulgar incentiva a aventura,
As Berlengas iremos visitar,
Voaremos sobre as ondas com toda a doçura.

Sou gaivota, vivo do mar.

 

Maria Neves

Fotos: Oscar Ferreira

04.09.21

O Corvo marinho de bico amarelo


Maria Neves

 

B65C400F-5374-414E-B7BF-16BA4846F2D1.jpeg

14C38B06-F16D-4A56-97F6-9E11D7BC10F1.jpeg

2A6BD44A-1849-4EC0-AC8B-A55251700729.jpeg

O Corvo marinho de bico amarelo 

Sou exigente,  tenho o meu mundo,
Moro numa casa sem tecto,
Sou feliz a cada segundo,
A minha mansão não teve arquitecto.

Quando vejo um humano por perto,
Fico cheio de prurido,
É a alergia debaixo das asas, é certo,
Desperta em mim, o sexto sentido.

 

O humano não é confiável,
Já tem o planeta num caco,
A sua ambição não é sustentável,
Sou livre, não preciso buraco.

 

Ao amanhecer, no cimo deste rochedo,
Trato da minha higiene no meu altar,
Respeito a distância  em segredo,
Não vá o piolho saltar.


Em frente tenho a linha do horizonte,
Ao redor uma  família "Córvidae" exemplar, 
Não gostamos ser olhados defronte,
Pois à nossa frente, só queremos o Mar.

Maria Neves

Fotografia: Óscar Ferreira

 

 

 

 

 

 

 

 

02.09.21

A tripeça e o pedestal


Maria Neves

AB89E921-61E6-4694-840A-F680A3C93EC3.jpeg

572FA1B0-0E42-48BF-B01B-A10B24BD3401.jpeg

31E89518-5B06-4C82-B797-17187BCF6990.jpeg

Quando alguém te vê, não a tua essência,
Profetiza a tua criatividade,
Precede, com muita sapiência,
Não valorizou a tua liberdade.

Mostrando tanta altivez,
Que nem ser mandado ao "condado" merece,
Servindo a arrogância de sensatez,
De mim terá o que merece.

Eu, não tenho asas, nem quero voar,
A Humildade gera o valor principal,
O orgulho pesado não deixa pensar,
O Ser realizado, não quer "pedestal".

O "pedestal" é um sitio perigoso,
É uma tripeça sem pernas,
Que se enquadra no ser manhoso,
Que viverá de "profecias" eternas.

Só existirá o "pedestal",
Se o Ser Humano deixar,
Para  tornar alguém Imortal, 
Deixando de Se Valorizar!

Maria Neves