Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Bem-vindo ao meu Blogue!

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Bem-vindo ao meu Blogue!

17.05.22

Chuvas de Maio


Maria Neves

Uma gota de água da chuva, Tão pequenina e transparente, Enobrece o local onde cai, Traz esperança, germina a semente. Pelo azul do céu passou, Uma nuvem branca arredia, Que num castelo se transformou, Trouxe chuva ao fim do dia. Caía sobre o solo seco, Sentia-se o cheiro a terra molhada, Contra os efeitos da seca, A favor do trabalho da enxada. Chuvas de Maio na cidade, Também produzem riqueza, Jardins exibem a sua vaidade, Na sua magnífica nobreza. Gotas de chuva em Maio Maria Neves (...)
09.05.22

Onde?


Maria Neves

Onde? Onde em Agosto vi o eclipse lunar, Onde cheirava a terra molhada, Onde havia música no ar, Onde se abraçava a enxada. Onde se respirava calma, Onde o riso era uma constante, Onde existia espaço para a alma, Onde tudo acabou num instante. Onde? Onde se alicerçou a arrogância, Onde o Outro não foi respeitado,  Onde venceu a intolerância,    Onde o dinheiro foi mais valorizado.   Onde é escuro em noite de luar, Onde,  a esperança e a fé partiram, Onde,  não se sai do (...)
03.05.22

Ondas de Vento


Maria Neves

  À tarde olhei o oceano, O brilho das águas, O mar em frente soberano,    Não vi guerras, não vi mágoas. Tanta luz, e a voz da esperança, Tantas mensagens as ondas enviam, Tantos sopros  de mudança, Sobre aquelas rochas caiam. Uma gaivota cantava do alto, Branca, semeava liberdade, Não havia serra ou planalto, Onde pousasse a sua verdade. Foi-se perdendo nas ondas de vento, Encontrando-se nas marés, O destino tem o seu tempo, Ela tem o mar a seus pés . Maria Neves     (...)
29.04.22

Sopros de Alento


Maria Neves

  Sem ver o mar,         Sem sentir na falésia o rugir do vento, Sem sentido para caminhar,   Um "suplício" que ainda hoje não entendo. Foi algum tempo de clausura, Ninguém poderá entender, Numa completa amargura, Do nascer do dia, ao anoitecer. Invadida de angústias, e do que a medicina estabeleceu, Não, não pode ser, O que nunca imaginei aconteceu, Uma atrás da outra, fazer-me-há crescer. Um sopro de vida acontece, Quando a rua te parece outro país , Quando te (...)
13.04.22

A Tua Verdade


Maria Neves

  Quando olhas, mas nada é o que vês, Quando a tua verdade é uma miragem, Enquanto esperas pela tua vez, Por um mundo sem camuflagem. Olhas o Outro, com a tua verdade, Mas ninguém se importa com o que sentes, O que importa mesmo é a arte, Que usas em todas as vertentes. Perdeu-se a noção do Ser verdadeiro, Perdeu-se tudo pela ambição, O mundo tornou-se pioneiro, Em lutas sem fundamento, e na ilusão. Na tua verdade, Serás feliz... Maria Neves        
16.03.22

Nos Horizontes do Olhar


Maria Neves

Olhas o céu aonde quer que vás,  Olhas a nuvem, uma ave que voa, sentes a viagem, Absorves o brilho,  sentes Paz, A tua existência, não é uma miragem. A loucura que se vislumbra, Com a música que vais ouvindo, O poema te relembra, Se vives, ou vais indo. Em locais do desconhecido, Nos dias difíceis que vão amanhecendo, Os horizontes do olhar fazem sentido, Para as dúvidas que vão crescendo. Não, não procures na noite escura, Faz-te à estrada pela manhã, Encontrarás c (...)
21.02.22

O Intruso


Maria Neves

O Intruso É curioso,  desde alguns meses deparo-me com um estranho, a escrever comentários nas minhas "postagens " no Facebook. E, por incrível que pareça ao mundo,  até as postagens que eu comento de amigos, conhecidos, e em páginas de figuras públicas, nacionais e internacionais. Tenho resolvido a situação apagando os comentários, só uma vez, "encaminhei o dito ",  descansar no banco do jardim. "Eu quero que me adicione como seu amigo "...SIC. Como é obvio, eu só (...)
18.02.22

Restauro


Maria Neves

Restauro Época de se permitir Ser apenas Ser. Restaurar O que foi perdido, Que ninguém encontrou.
 O que foi vivido,    Ou talvez desperdiçado. 
 Mas deixou legado.   Isso alguém recordou. Restauro A tinta de grês, ou o óleo precioso da vida, para compor o corpo e reencontrar a vida no ponto em que fez uma pausa forçada. Restauro Maria Neves
13.02.22

O canto do Corvo


Maria Neves

Há Corvos a cantar  Estávamos em Abril, o dia estava quente, o céu estava limpo, mas o vento  soprava de sudoeste.  Eu estava a estudar para uma  "Frequência" no sótão da casa. Ouvia-se o som do cantar do Corvo no pinhal da Quinta,  situada na Beira Litoral. Ave preta,  muito inteligente e não pronúncio do mal. Segundo os trabalhadores agrícolas era um " boletim meteorológico ". Quando ouvíamos o canto do Corvo ao fim da tarde,  haveria  queda de chuva nos dias (...)
09.02.22

Presença


Maria Neves

Saber ouvir-Se, Saber esperar, Permitir-se apenas Ser. Sem ruídos. O Sol entra e brilha. Todos conhecem o seu Valor. Mesmo nos dias nublados, não se Vê, mas está lá, E volta a brilhar, no fim da nuvem passar. É tudo uma questão de tempo. É tudo uma questão do Ser. Maria Neves