Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Um espaço, que descreve a minha atitude perante a vida. Viver com um sorriso, perspectivando um futuro melhor. Sorri sempre!

Com um sorriso, chegas ao infinito.

Um espaço, que descreve a minha atitude perante a vida. Viver com um sorriso, perspectivando um futuro melhor. Sorri sempre!

21.11.21

O poeta que me fascina ou persegue!


Maria Neves

O que seria a minha vida sem Arte? Este fim-de-semana foi para mim curto no tempo, mas duma grandiosidade sem medida. Eu não acredito em coincidências, mas que as há, há. Depois de Sábado a trabalhar na Urgência do meu Hospital, senti necessidade de ir até à Capital. Marquei Hotel. Fui jantar. Dirigimo-nos a um restaurante, na Praça do Comércio, já afamado e por detrás de mim existia uma informação sobre Fernando Pessoa. Não é novidade para ninguém que adoro Fernando (...)
30.10.21

Um doce com amor e mais nada


Maria Neves

Numa noite de temporal, Ouvindo o rugir do vento, A chuva caía em bátegas cor de prata sobre a janela, O bater das ondas na muralha estimulava os sentidos. E eu, olhando, sentindo  e pensando. Tão real!  A noite de Outono perfeita. Sabia tão bem um doce para sobremesa. Um doce, Eu...! Pois, simples e muito bom. Servido envolvido com laços de ternura e muito amor. Receita: 1 cacho de uvas roxas sem grainhas,    4 bolachas recheadas de chocolate negro,   1 iogurte de copo de (...)
20.10.21

A galinha de água


Maria Neves

Era uma manhã de Novembro, As primeiras chuvas caíam, Logo ao amanhecer eu me lembro, As galinhas do rio apareciam. Era lindas e desejadas, Raramente se viam, Usavam camuflado na plumagem, Assim, não as reconheciam. A chuva caía intensamente, Na janela do salão eu observava, De onde viria aquele  "pato" diferente? Não era pato, era uma galinha que nadava. Era uma linda  galinha da água... Maria Neves
19.10.21

Olhando o cume da Serra


Maria Neves

Olhando o cume da Serra ao entardecer, Bem alto, bem  perto do céu, Que antecede o esperado anoitecer, Aquele fim de dia, seria o meu troféu. Olhando o anel dourado que o sol desenhava,    Por entre os pinhais, que se curvam ao vento,    Dando uns passos, já ao crepúsculo pensava,     Nao,  não  desvies em ti, teu  intento. Olhando o céu na noite escura, Brilham as estrelas e a Lua, Não haverá maior amargura, Para quem desse brilho se exclua. Não, não olhes para trás, Seg (...)
13.10.21

O arranjo de Outono


Maria Neves

Sentada na esplanada do Parque, Olhando a garça real no cimo da cascata,     O Outono colorido  é uma Obra de Arte,  O sol sobre a água, forma túneis de prata. Se bem o pensei, assim me levantei, Terminei a bebida e fui a caminho,  Folhas secas de várias cores encontrei,           O arranjo de Outono selvagem, acarinho. O Outono é a minha estação preferida, Gosto das cores e dos cheiros,   Gosto do Sol à tarde na sua partida, Como quem aprecia o sabor de um (...)
12.10.21

Um Ser e o Mar


Maria Neves

Existe algo por descobrir,  Para além do horizonte, Talvez a promessa por cumprir, Quando bebi a água da Fonte. Tanto mar, tanto sol, e um sonho, Tanto ainda por viver, Vivendo num mundo enfadonho, Tanto que alguém não quiz ver. O mar mostra a sua imensidão, Neste Outono quente e bondoso, Com ondas baixas que vêm e vão, Neste lugar magestoso. Junto ao mar no entardecer, Uma gaivota anuncia  Líberdade, Entre o céu  e o mar faz estremecer,   A vida que leva de Verdade. Maria Neves  
08.10.21

A janela Templária


Maria Neves

Na rua da Corredoura, há uma janela imaginária, Há uma estória em cada esquina, Há uma vista Templária, Que nos reconforta e anima. Há uma música nova que paira no ar, Vinda da Escandinávia, Não poderia ser mais inspiradora, Para esta janela Templaria. Desfrutar estes dias simplesmente aqui, Com o Amor por companhia, Uma bebida e uma janela Templaria, Será realidade,  ou pura magia? Maria Neves  
05.10.21

Sou um Pato Real


Maria Neves

Sou Real, Mas sou simplesmente um Pato, Tenho no Lago o principal, E sou muito feliz, é um facto. Hoje fiz um voo de Cupido, Descobri algo de novo, Voltei para o Lago rendido, À minha beleza como um todo. Sou apenas um Pato Real, Tenho cores vivas nas minhas penas, Sou no lago um bicho fatal, Para as minhas Patas, amenas. Sou feliz,  sou livre e canto, Quando sinto o vento a passar, As minhas asas são o manto, Para a minha Pata pernoitar. Sou um pato real! Maria Neves